TCU: desnecessidade de paridade entre salários previstos na proposta e os salários efetivamente pagos

Nos últimos anos, o Tribunal de Contas da União consolidou novo posicionamento acerca da paridade entre os salários indicados na planilha de preços do licitante e os salários efetivamente pagos a seus empregados ao longo da execução do contrato. Confira os comentários de Eduardo Nadvorny Nascimento acerca do tema, elaborados sob a orientação do advogado Rodrigo Goulart de Freitas Pombo. Leia Mais.

São Paulo
Jardim Botânico